Tuesday, October 19, 2010

Sim, existe coisa pior que o Festival de Moscou: ser jurado no Festival de Moscou.

Os trabalhos premiados no Festival de Moscou voce provavelmente nunca vai ver. E nao eh porque sao “fantasmas”, como nos outros festivais. O problema eh que os trabalhos sao Russos e, normalmente, ruins demais para sequer fazer parte do shortlist de qualquer outro festival. Um dos problemas eh a panelinha/amizade entre os donos de agencia, que querem premiar trabalhos terriveis como modo de agradar colegas de profissao. O outro problema eh que os jurados nao querem pensar. E isso eh fundamental num festival de propaganda.
Mas vamos comecar pelo comeco.
O Festival de Moscou estava comemorando 20 anos este ano. O fato de voce nunca ter ouvido falar nesse Festival jah dah uma ideia de quao serio ele eh. Na falta de termo melhor, eh uma piada. Para comecar, metade dos jurados nao trabalha em criacao. Para completar, mais da metade nao fala ingles. Ou seja, discutir ideia e conceito, ou simplesmente ouvir a opiniao do Presidente do Juri (Sua Excelencia Jean-Remy Von Matt, fundador da Jung Von Matt), nao era possivel. No primeiro intervalo, Jean-Remy me disse: “Em geral, o clima eh tao tenso nesses festivais. Aqui nada eh levado a serio. Todo mundo parece estar se divertindo.”
E estavam mesmo.
Faziam piada com o trabalho dos outros, votavam em trabalhos ruins soh porque eram “engracados”, bancavam os criticos serios para eliminar trabalhos internacionais. Ridiculo.
Ateh aqui, o amadorismo estava todo nas costas dos jurados, mas o pior ainda estava por vir.
Apos julgar uns 150 trabalhos de TV e mais uns 100 de midia impressa, comecou o martirio. Esse ano foram criadas categorias “sociais”. 9 categorias para ser mais exato: campanha beneficiente, campanha beneficiente nao realizada, Russia Saudavel, campanha beneficiente regional, campanha beneficiente em midias alternativas, Young Creatives, Estudantes, Parodias e Fotografia. Essas campanhas eram gratuitas e nao tinham nenhum criterio. Nao havia SEQUER um brief para criacao. Se, as vezes, jah eh dificil entender um anuncio quando voce conhece o produto, imgine quando nao existe nem mensagem. Meu anuncio favorito era um gordinho dando uma enterrada numa cesta de basquete colocada no meio da selva, sob o titulo “Eu encontrei a minha paz. Encotre a sua.” Um total de 450 pecas nao pagas e sem nexo, versus 250 pagas e que dao ao Festival o minimo prestigio que ele ainda tem.
Se a ditadura soubesse do Festival de Moscou, a vida deles seria muito mais facil. A tortura pela qual eu passei deixa marcas indeleveis na mente, mas nao produz nenhum hematoma ou evidencia fisica. Duas sessoes de 15 horas cada foram suficientes para que eu confessasse abertamente: se voce sente o minimo orgulho pelo seu trabalho, jamais mande ele para o Festival de Moscou. Nunca mais vou fazer parte deste juri. Juro.

Fui,

A

6 comments:

Andre said...

Muito triste isso, uma festival aonde se deveria aprender com as críticas e elogios, se torna um passa tempo banal.

Posteriormente a isso, Andreas acompanho seu Blog desde 2006 e gostaria de umas dicas sua sobre meu ingresso na Ucrânia. Queria lhe enviar um email pedindo umas dicas sobre Kiev, mas não tenho seu endereço.
Se você pudesse me enviar seu endereço de email para andretars@gmail.com ficaria muito grato.

Abraço aqui do Brasil

André

Graziela said...

Jesus! Mas eh o trAbalho q vcs fazem? Sai coisa boa? O que eh pior? A criacao fraca ou os clientes de mente estreita?? Bjks gra

Anonymous said...

Haahhahha

Falae Fera. Justo agora que eu ia mandar um e-mail pedindo pra incluir a categoria arte-final beneficente...

Abrassss

Tomi

Moderador said...

kkkkk!!!! E eu querendo ir pra Rússia pra pesquisar a mentalidade criativa deles!

Antonio Biondi said...

This is your brain. And THIS is your brain with drugs!

Anonymous said...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!
Só senti por você.
bjkbjkbjk,. mamis